08:31 Luns, 24 de Setembro de 2018
Terra e Tempo. Dixital Galego de pensamento nacionalista.

15-08-2018

A teoria económica neoliberal é uma farsa e os russos caíram nela. Assim como os chineses

A impotência auto-imposta dos governos russo e chinês

Valorar (2)

PAUL CRAIG ROBERTS



Tanto o governo russo como o chinês são enigmáticos. Eles detêm todas as cartas nas guerras das sanções e sentam-se sem saber como jogá-las.

Os russos não obterão qualquer ajuda dos media ocidentais que obscurecem o caso ao enfatizarem que o governo russo não quer privar seus cidadãos de bens de consumo do Ocidente, o que é precisamente aquilo que as sanções de Washington pretendem fazer.

O governo russo e o chinês estão nas mãos de Washington porque ambos, a pensarem que o capitalismo venceu, rapidamente adoptaram a teoria económica neoliberal americana, a qual é um dispositivo de propaganda que serve apenas os interesses de Washington.

Durante anos a NASA tem sido incapaz de funcionar sem motores de foguete russos. Mas apesar de todas as sanções, insultos, provocações militares, o governo russo ainda envia os motores à NASA. Por que? Porque os economistas russos dizem ao governo que as divisas estrangeiras são essenciais para o desenvolvimento da Rússia.

A Europa está dependente da energia da Rússia para mover suas fábricas e manter-se aquecida no inverno. Mas a Rússia não desliga a energia em resposta à participação da Europa nas sanções de Washington, porque os economistas russos dizem ao governo que divisas estrangeiras são essenciais para o desenvolvimento da Rússia.

Como Michael Hudson e eu explicámos em numerosas ocasiões, isto é um contra-senso. O desenvolvimento da Rússia não está dependente de modo algum da aquisição de divisas estrangeiras.

Os russos também estão convencidos de que precisam de investimento estrangeiro, o qual serve só para drenar lucros para fora da sua economia.

Os russos também estão convencidos de que deveriam comercializar livremente a sua divisa, com isso sujeitando o rublo à manipulação nos mercados cambiais do estrangeiro. Se Washington quiser provocar uma crise de divisas à Rússia, tudo o que o Federal Reserve e os seus vassalos nos bancos centrais japonês, da UE e britânico tem a fazer é vender o rublo a descoberto. Os hedge funds e especuladores participarão dos lucros.

A teoria económica neoliberal é uma farsa e os russos caíram nela.

Assim como os chineses.

Suponha que quando começaram todas estas acusações contra a Rússia – tome-se o alegado ataque ao Skirpals como exemplo – Putin se tivesse levantado e dito: "O governo britânico está a mentir com todos os seus dentes, assim como todos os governo incluindo o de Washington que reflectem esta mentira. A Rússia encara esta mentira como altamente provocadora e como parte de uma campanha de propaganda para preparar povos do ocidente para um ataque militar à Rússia. O fluxo constante de mentiras gratuitas e exercícios militares junto às nossas fronteiras convenceram a Rússia de que o ocidente pretende a guerra. A consequência será a destruição total dos Estados Unidos e dos seus fantoches".

Isso teria sido o fim das provocações gratuitas, exercícios militares e sanções.

Ao invés disso, ouvimos acerca de "mal entendidos" com nossos "parceiros americanos", o que encoraja mais mentiras e mais provocações.

Ou, numa resposta mais moderada, Putin poderia ter anunciado: "Como Washington e seus servis fantoches europeus nos sancionaram, nós desligamos os nossos motores de foguetes, toda a energia para a Europa, o titânio para companhias aeronáuticas dos EUA, proibimos sobrevoos de aviões cargueiros e de passageiros dos EUA e colocamos em vigor medidas punitivas contra todas as firmas estado-unidenses que operam na Rússia".

Talvez uma razão para a Rússia não fazer isso, além da sua crença errada de que precisa da moeda e da boa vontade do ocidente, é a Rússia pensar erradamente que Washington roubará o seu mercado europeu de energia e despachará gás natural dos EUA para a Europa. Mas nada de tal infraestrutura existe. Levaria vários anos para desenvolve-la. Nessa altura a Europa teria desemprego em massa e estaria congelada nos invernos frios.

E quanto à China? A China abriga um grande número de importantes corporações dos EUA, incluindo a Apple, a maior corporação capitalizada do mundo. A China pode simplesmente nacionalizar sem compensação, como a África do Sul está a fazer a agricultores brancos sul-africanos sem qualquer protesto ocidental, todas as corporações globais a operarem na China. Washington seria esmagada por corporações globais a exigirem a remoção de toda sanção sobre a China e a completa subserviência de Washington ao governo chinês.

Ou em alternativa, ou como acréscimo, a China poderia despejar todos os seus US$1,2 milhão de milhões de Títulos do Tesouro dos EUA. O Federal Reserve rapidamente imprimiria a moeda para comprar os títulos de modo a que o seu preço não entrasse em colapso. A China poderia então despejar os dólares que o Fed havia impresso a fim de resgatar os títulos. O Fed não pode imprimir divisas estrangeiras para comprar os dólares. O dólar mergulharia e não valeria nem um bolívar venezuelano a menos que Washington pudesse ordenar aos seus banqueiros centrais fantoches no Japão, Reino Unido e UE que imprimissem suas divisas a fim de comprar os dólares. Isto, mesmo se fosse cumprido, provocaria uma grande tensão no que é chamado de "a aliança ocidental", mas que na verdade é o Império de Washington.

Por que os russos e chineses não jogam suas mãos vencedoras? A razão é que nenhum dos dois governos têm conselheiros que não tenham os cérebros lavados pelo neoliberalismo. A lavagem cerebral que os americanos deram à Rússia durante os anos Yeltsin foi instaurada nas instituições russas. Presa nesta caixa, a Rússia é um pato sentado para Washington.

A Turquia é uma oportunidade perfeita para a Rússia e a China avançarem e removeram-na da NATO. Ambos os países poderiam oferecer à Turquia a entrada para o BRICS, acordos comerciais e tratados de segurança mútua. A China poderia facilmente comprar a divisa turca nos mercados de câmbios estrangeiros. O mesmo poderia ser feito quanto a Irão. Mas nem a Rússia nem a China parecem capazes de acção decisiva. Os dois países, ambos sob o ataque de Washington tal como a Turquia, sentam-se a chuparem os seus dedos. 

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ 




Engade o teu comentario:

Os campos marcados con* son obrigatorios.









Aniversario Moncho Reboiras 2017


© Fundación Bautista Álvarez de Estudos Nacionalistas
Terra e Tempo (ISSN 1575-5517)
Avenida de Lugo, 219, 1º, 15703 • Santiago de Compostela • Galiza
981 57 02 65 – info#code#terraetempo#code#gal